Alimentação

Alternativas que os restaurantes utilizaram para sobreviver a quarentena e cuidados e estratégias para o retorno

Adriana Naccarato
Escrito por Adriana Naccarato

Com o novo tempo que vivemos, onde a COVID-19 tomou conta de todo o mundo, fomos obrigados a nos adaptar as circunstâncias e encontrarmos alternativas que muitos não achariam necessário em meios “tradicionais”. A verdade, é que todos foram prejudicados de alguma forma, sejam elas financeiras, sociais, pessoais e/ou familiares. Perdemos emprego e, quando não, salário e benefícios foram diminuídos, entes queridos, e ainda, nossa própria liberdade. 

Com a preocupação em sobreviver e principalmente, com aqueles que dependem de nós (funcionários, parentes e afins), procuramos caminhos que pudessem nos ajudar. Foi exatamente nessa linha que muitos empreendedores buscaram inovar. Inúmeros restaurantes, ao menos, já trabalhavam com delivery, o que os mantiveram em pé, mesmo que em cordas bambas. Os que não, tiveram ainda mais essa adaptação.

Infelizmente, também não foi o suficiente para grande parte. De qualquer forma, a tristeza foi unânime, aos que sobreviveram, ainda assim tiveram vastos prejuízos.

Apesar do método “entrega” ter sido o caminho mais claro e, até então, viável, mais do que nunca as marcas tiveram que investir em branding e marketing. Outro aspecto que requer tempo, dedicação e um certo investimento.

A maior dificuldade da adaptação é o fato de ser um processo e, como todo, é cientificamente comprovado que leva um determinado período para o ser humano se adequar. O problema em cima disso? Muitos tiveram que fazer da noite para o dia.

No atual cenário (flexibilização da quarentena), uma pesquisa foi realizada, pela 4LIFE, para identificar como seria o movimento nos estabelecimentos e, segundo ela, ainda bem baixo (apenas 19% dos entrevistados voltariam a frequentar). Isto porque, o medo e cuidado predominam.

Para que os restaurantes consigam chamar seu público, devem primeiramente transmitir segurança. E como fazer?

Buscaram treinamento específico, obrigação esta de toda a equipe. Alguns deles até emitem certificado, o que é bem interessante. Mostram, diariamente em suas redes sociais, todos os cuidados que têm, além de textos explicativos. Os cuidados são gerais, englobam higiene (álcool, máscaras, luvas) e, até mesmo, alguns meios de equipamento para que não precisem se quer entrar em contato direto com talheres, pratos, guardanapos e copos dos clientes. Além do mais, a capacitação de entrada dos mesmos, bem como, o horário de funcionamento foram reduzidos pela metade. Afinal, todo cuidado ainda é pouco.

O fato é que precisamos sempre inovar, independente. Só fomos obrigados a fazê-lo quando não esperávamos.

Comments

comments

Sobre a autora

Adriana Naccarato

Adriana Naccarato

Apresentadora, consultora de moda, influencer, empresária! Essas são algumas das faces da Adriana Naccarato, formada em Jornalismo desenvolveu seu próprio método de comunicação e, de forma leve e bem humorada, trabalha as informações do mercado abordando temas de moda, tendências, lifestyle aproximando seu público com conteúdo e experiências vivenciadas no cotidiano social.

Deixe um comentário